16 de julho de 2013

Numa terça-feira qualquer às 17:19

Tudo parecia normal,pessoas andavam apressadas,o sol escaldava o dia e eu,como sempre,me mantinha enfiada perdida entre as palavras.Quando de repente uma voz chegou como um eco distante:
"Hey garota,o que você está fazendo?"
"Nada de demais,apenas tomando um ar e lendo um pouco."
"Você parece um pouco triste,não sei,como se tivesse se perdido por ai."
"Não sei responder moço,ainda não entendo muito bem o conceito de felicidade e tristeza." - disse fechando o livro. - " Defina felicidade."
"Você pensar demais minha jovem,a vida não é um dicionário,ela não segue definições a risca.Ela apenas acontece."
Eu não respondi.Não tinha um resposta,um pensamento coerente.Apenas fechei os olhos por um instante e respirei fundo.Depois abri o livro com expectativa de encontrar a resposta que precisava.Mal sabia eu,que não existia resposta alguma.

3 comentários:

Kamila disse...

Me senti a protagonista desse diálogo, hehe!
Amei o texto *-*

Ana Maria Gomes disse...

Curti, interessante a dinâmica do seu blog.

Gleison Andrade disse...

Costume pensar que a vida acontece também... Não gosto da ideia de definições, destinos e coisas que são programadas para acontecer; seria o mesmo que admitir não possuir controle sobre nossos passos; a ideia de anular o livre arbitro me apavora.

Postar um comentário