12 de abril de 2011

Planos.

Passamos a vida imaginando como vamos vive-la,fazemos planos,tentamos escolher a melhor caminho e esquecemos que as coisas mais marcantes e importantes acontecem por acaso,sem planos e sem permissão.Programamos toda uma vida,mas esquecemos do mais importante,esquecemos de viver.

8 comentários:

masoqeisso disse...

Gostei do post , e principalmente do layout do blog , ta muito bonito mesmo , a cara dele aiuha

Boa sorte

Brigado pela visita no meu , espero que volte sempre
http://masoqeisso.wordpress.com
Melhor blog de humor,entre e saia do tédio

Dalyla Carvalho disse...

Adorei o post. Só que discordo que as coisas mais importantes acontecem por acaso... nem sempre é assim :P
Mas seu texto ficou bem legal, e parabéns pelo blog :)
Estou te seguindo, se quiser me segue também:
http://refugiopcional.blogspot.com/ :)

Pedro Sombra disse...

Óbvio que pensamos no futuro. Mas, no fim mesmo, o único futuro certo é a morte, que te alcança de qualquer maneira. No fim, todos os planos realizados e mesmo os não realizados, os bons momentos que aconteceram espontaneamente, não passarão de lembranças. No fim, não importa se você é um empresário que construiu um império industrial ou simplesmente um catador de papel, todos tem o mesmo fim.

http://ovalordaminhainsanidade.blogspot.com/

BLoG do CHARQuE disse...

maravilhoso!

@samylesousa disse...

Muito lindo, sempre pensamos no futuro mesmo, mas me marcou esse texto porque me lembrei das minhas melhores lembranças que são de coisas que aconteceram por acaso, e mesmo assim foram ótimas e bem proveitosas, o futuro é sempre incerto mas temos que pensar nele, saber o que faremos nele para que quando ele chegue não nos arrependermos de não aproveitado quando podiamos e não ter seguido o coração... Adorei o texto, muito perfeito!

http://agarotaperfeitatemdefeitos.blogspot.com/

Bjoo's

Guilherme Prado Souza disse...

Pois é... Fico me perguntando, onde é que esqueci essa chave que liga o tal motor que faz "viver"? Ou será um interruptor que esqueci de clicar? Talvez aquela lâmpada deixada acesa que, de tanto brilhar, se incorporou ao meu cotidiano de tal forma que ninguém mais vê... Ela não mais clareia, agora só escurece...
Vez ou outra, você não se sente deslocada no tempo? Quando ouve os lamentos de Mississipi Fred McDowell, Mississipi John Hurt, Robert Johnson (clássico), Blind Boy Fuller e tantos outros que dos campos, só podiam resmungar “my babe treats me so bad”, enquanto colhiam o algodão para vestir os brancos que roubavam-lhes até as canções... Você olha pro lado e vê, lê e ouve o que ninguém mais... dá importância... Sente-se ora inferior, ora superior quando vêm lhe criticar os ouvidos? Não sabem que, na verdade, só querias ser igual na diferença, almejando apenas a realidade, presente nos alvitres dos velhos tempos que não voltam mais à lembrança do povo... Seduzidos, bombardeados e amolgados pela mídia (rolo-compressor), nos perdemos no passado das melodias que expressam um cotidiano, simples, sofrido e acima de tudo... Verdadeiro...
Espero que tenhas uma semana repleta de “vida”...
Estarei sempre por aqui...
Abraços!

limbosocial.blogspot.com

Wanderson Souza disse...

já clicquei nos anuncios
sempre q passar por aki darei uma clicada,
ja estou te seguindo!!!!!!!!
se pudesse retribuir ficarei imensamente grato.
Fik aki o convite, vlw...
http://comofaizz.blogspot.com/

Laís Escher disse...

beeeeeeeeeeeeem verdade!
te seguindo (:

ah, adorei teu about (:

Postar um comentário